Gengivite pode causar mau hálito? Como cuidar da saúde da gengiva?
A gengivite, assim como outras doenças de gengiva, costuma causar mau hálito, demandando maiores cuidados com a higiene bucal
A gengivite, assim como outras doenças de gengiva, costuma causar mau hálito, demandando maiores cuidados com a higiene bucal

Publicador de Conteúdos e Mídias

Gengivite pode causar mau hálito?

Gengivite pode causar mau hálito? Descubra como tratá-la e prevenir outros sintomas seguindo dicas de especialistas. Acesse agora e melhore sua saúde bucal!

10/03/2023

Compartilhar em suas redes

Publicador de Conteúdos e Mídias

Você sabia que a halitose pode sinalizar diferentes doenças bucais? Em casos de infecções, como a gengivite, a ação de bactérias presentes na boca costuma resultar na liberação de gases voláteis, que são os responsáveis pelo mau hálito. Quando isso ocorre, é importante contar com um dentista de confiança e, principalmente, redobrar os cuidados com a higiene bucal. 

Mas, será que a gengivite acompanhada de halitose significa alguma complicação? Como proceder para tratar ambos os problemas da melhor maneira possível? O Sorrisologia conversou com a cirurgiã-dentista Patrícia Almeida, que explicou se esses dois problemas bucais têm relação e como manter a higiene bucal em dia mesmo durante o tratamento da gengivite. Confira!  

Afinal, a gengivite pode causar mau hálito? 

De acordo com a especialista, a gengivite é um problema bucal que pode originar o mau hálito e precisa ser tratada o quanto antes para evitar a dor, o inchaço e outros sintomas. “Os microrganismos que vivem na boca, que podem estar em desequilíbrio por vários motivos (como a falta de escovação e até mesmo de água), vão inflamar a gengiva, o que leva ao mau hálito”, explica. 

Segundo a Academia Americana de Periodontologia, doenças na gengiva costumam ser silenciosas no início, mas algumas complicações podem surgir em estágios mais avançados. No caso da gengivite, é bastante comum se deparar com os seguintes sintomas, principalmente quando a infecção não é tratada:

  • Gengiva inchada e vermelha;
  • Sangramento durante a escovação, uso de fio dental ou no consumo de alimentos muito duros;
  • Dentes separados ou mais soltos;
  • Retração gengival, o que faz com que os dentes fiquem mais evidentes, parecendo mais longos que antes;
  • Presença de pus entre a gengiva e os dentes;
  • Feridas na boca;
  • Mau hálito persistente;
  • Mudança no encaixe dos dentes na hora de morder algum alimento;
  • Possível mudança no ajuste de próteses parciais.

Como tratar gengivite de forma correta

O tratamento da gengivite é bem simples, sabia? A Dra. Almeida destaca que é fundamental ir ao dentista para remover os microrganismos causadores do problema e também continuar o tratamento em casa. “No consultório, o dentista realiza uma limpeza e, se necessário, a raspagem do tártaro que está próximo à gengiva. Em casa, é necessário escovar os dentes após as refeições, utilizando pasta e fio dental. O fio dental é essencial para a prevenção da gengivite e para a manutenção de uma boca saudável”, orienta.

Vale destacar que, caso a gengivite esteja em um estágio muito avançado, o dentista também pode prescrever remédios (como analgésicos ou anti-inflamatórios) e recomendar algum enxaguante bucal específico, que ajude na higienização e recuperação da gengiva. Lembre-se de seguir à risca as orientações do seu dentista, ok?

Como acabar com o mau hálito durante o tratamento da gengivite

Engana-se quem pensa que a balinha de menta resolve o mau hálito. Quando o objetivo é se livrar realmente da halitose, a especialista explica que é necessário investir mais na saúde bucal. “Escovando mais os dentes. Não adianta chupar balinhas, chicletes ou usar dicas caseiras. Infelizmente, o mau hálito não some dessa forma. Consumir água também ajuda, já que leva ao equilíbrio hídrico”, finaliza a profissional. 

Um estudo publicado na revista Research, Society and Development reforça que o consumo de doces para mascarar o mau hálito não é efetivo na redução dos microrganismos e, inclusive, ainda tende a ser prejudicial para a saúde dos dentes. Afinal, o açúcar presente nas balinhas e guloseimas pode facilitar o surgimento de cáries. 

O movimento repetitivo de mastigação de chicletes também pode sobrecarregar a articulação temporomandibular (ATM) no longo prazo, contribuindo possivelmente para o surgimento de doenças temporomandibulares (DTMs). Por isso, atenha-se às dicas de escovar mais os dentes, usar enxaguante e beber mais água para aliviar a halitose, ok?

Mais Recentes

Publicador de Conteúdos e Mídias