Posso deixar meu filho usar uma escova de dentes elétrica sem supervisão?
O ideal é que a criança passe a usar a escova de dente elétrica sem supervisão apenas por volta dos 12 anos de idade
O ideal é que a criança passe a usar a escova de dente elétrica sem supervisão apenas por volta dos 12 anos de idade

Publicador de Conteúdos e Mídias

Posso deixar meu filho usar uma escova de dentes elétrica sem supervisão?

A criança pode começar a usar a escova de dente elétrica sem supervisão a partir dos 12 anos de idade, mas deve se consultar regularmente com o dentista.

16/03/2023

Compartilhar em suas redes

Publicador de Conteúdos e Mídias

Escolher a melhor escova de dente infantil - preferencialmente com a cabeça pequena e de cerdas macias - é fundamental para a higienização bucal do seu filho. Você sabia que a escova elétrica, por exemplo, pode ser usada pela criança a partir dos três anos? Ela permite uma escovação detalhada e rápida, mas deve ser sempre utilizada com a supervisão de um adulto até a criança atingir uma idade mais avançada. 

O Sorrisologia conversou com a dentista Cecília Ramos, que esclareceu justamente quando a criança pode passar a usar a escova elétrica sem supervisão e todos os cuidados que devem ser tomados nesse processo. Confira!

Criança pode usar escova elétrica sem supervisão a partir dos 12 anos de idade

De acordo com a dentista, a criança pode começar a usar a escova elétrica sozinha a partir dos 12 anos. Antes disso, é imprescindível que um adulto esteja sempre ao lado, conferindo se a escovação está correta e tomando alguns cuidados para prevenir lesões. 

De acordo com orientações do Ministério da Saúde, quando a criança tem apenas dentes de leite, é possível que a higienização bucal seja feita apenas duas vezes ao dia - com uma escova de dentes pequena, de cerdas macias e uma quantidade reduzida de creme dental com flúor (equivalente a menos que um grão de arroz). O adulto deve acompanhar a rotina de escovação da criança até que ela aprenda a fazer sozinha.

Como o adulto deve auxiliar na escovação da criança?

Para garantir que a criança tenha uma boa rotina de higiene bucal, a primeira dica é levá-la ao dentista logo após o nascimento do primeiro dente e, a partir daí, fazer consultas regulares ao menos a cada 6 meses. O dentista deve passar todas as recomendações de uso (da escova convencional ou elétrica) e também de fio dental e pasta de dente. 

O creme dental infantil, por exemplo, costuma conter uma quantidade reduzida de flúor, que já é suficiente para proteger todos os dentes dos pequenos. Mas, para que isso ocorra, é fundamental que a escovação seja feita de forma caprichada, na parte da frente e de trás dos dentes. 

A especialista destaca a importância de o adulto seguir sempre as orientações do dentista e se certificar de alguns detalhes importantes. “Verifique se todos os dentes estão higienizados, inclusive a língua. É importante também verificar se a criança está utilizando o fio dental corretamente”, orienta a profissional. 

Escova elétrica para higiene bucal infantil: vantagens e desvantagens

Por exigir menos movimentos manuais, a escova de dente elétrica acaba sendo uma alternativa muito prática, principalmente para crianças que ainda não desenvolveram bem essa habilidade. De acordo com a dentista, esse tipo de aparelho pode ajudar a evitar problemas e a garantir uma melhor limpeza dos dentes.

“Uma grande vantagem é ter a intensidade da escovação controlada, sem ter excesso de força (o que pode causar irritação na gengiva e outros problemas). Outro ponto positivo é saber que todas as faces dos dentes estão sendo higienizadas”, destaca a especialista. 

Um estudo publicado na revista Pesquisa Odontológica Brasileira, da USP, constatou que o uso da escova elétrica de dente especialmente por crianças com dentição decídua (entre os 4 e 5 anos de idade) melhora muito a remoção de placa bacteriana, principalmente em áreas de difícil acesso, como a superfície da língua.

De acordo com a especialista, algumas pessoas também têm a falsa sensação de que o aparelho faz todo o trabalho por si só e, assim, podem acabar realizando uma higienização mais desleixada no dia a dia. “A desvantagem é que necessita de uma supervisão mais ativa, uma vez que a escova elétrica pode passar a impressão de perfeita escovação”, explica. Para evitar esse erro, é importante posicionar a escova em todos os dentes sem pressa e sempre seguindo as orientações do seu dentista de confiança.

Escova elétrica: cuidados de higiene e armazenamento são importantes

Saber como limpar a escova e armazená-la de forma correta faz toda a diferença, sabia? O ideal é ensinar a criança desde cedo a ter cuidados especiais com o aparelho e, ainda, lembrar de trocar o refil das cerdas ao menos a cada meses (ou sempre que elas ficarem deformadas).

“Esteja sempre atento com as recargas, seja de pilhas ou eletricidade. Além disso, a escova elétrica também precisa ser trocada com regularidade para evitar o acúmulo de bactérias e fungos; sempre lave as cerdas em água corrente e evite guardar em locais escuros e fechados”, finaliza a especialista. 

Mais Recentes

Publicador de Conteúdos e Mídias