Saúde bucal do bebê: veja todos os cuidados que você deve ter com sorriso do seu filho

Você sabe como cuidar da saúde bucal do bebê? Veja as medidas necessárias para prevenir o surgimento de doenças durante essa fase
Você sabe como cuidar da saúde bucal do bebê? Veja as medidas necessárias para prevenir o surgimento de doenças durante essa fase

Não dá para negar: todo cuidado é pouco quando se trata da saúde bucal infantil. Mas, ao contrário do que muitos acreditam, o acompanhamento odontológico não deve ser feito a partir da troca de dentes. Na verdade, os cuidados devem começar já nos primeiros dias de vida do bebê, incluindo o período de gestação.

Mas será que você sabe quais hábitos devem ser inseridos na rotina do seu pequeno? Ou quais problemas bucais podem surgir durante esse período? Pensando em esclarecer tudo sobre o assunto, o time de Sorrisologia conversou com alguns especialistas em saúde bucal infantil. Veja só!

1. Entenda como os primeiros dias de vida do bebê podem influenciar na saúde bucal infantil

Muito se fala sobre os cuidados com a saúde bucal infantil, mas pouco se sabe sobre a importância de alguns hábitos nos primeiros mil dias de vida do bebê - que se trata do período da gravidez somados aos primeiros dois anos de vida da criança. Acontece que, essa fase é crucial para o desenvolvimento dos hábitos alimentares da criança que podem influenciar na sua saúde bucal. “Por sabermos que os pequenos possuem uma preferência natural por doces, é necessário incentivar o consumo de outros alimentos, como legumes e frutas, para que a criança “aprenda“ a comer esses alimentos sem qualquer problema quanto ao paladar”, explica a odontopediatra Aline Gianpietro.

Além disso, é importante ter em mente que a quantidade de açúcares e derivados oferecidos deve ser controlada para evitar alguns problemas bucais comuns na infância, já que a metabolização do açúcar tende a causar perda dos minerais dos dentes e, consequentemente, cárie nos dentes.

1.1. A odontopediatria e seu papel fundamental na saúde bucal do bebê

Assim como os adultos e as crianças, os bebês também precisam de um acompanhamento odontológico. “Durante os primeiros mil dias de vida, é extremamente importante que a mãe e o bebê sejam consultados por um odontopediatra para garantir que os dois receberão as devidas orientações de higiene e os cuidados necessários desde o nascimento do bebê”, revela a Dra. Aline. Dessa forma, é possível se certificar de que, além da saúde bucal do bebê, a da mãe também estará em dia, assegurando o bem-estar da criança.

1.2. Pré-natal odontológico = saúde bucal infantil mais segura

Para surpresa de alguns, os cuidados com a saúde bucal do bebê podem (e devem!) começar antes mesmo do seu nascimento através do pré-natal odontológico. “Durante a gestação, é comum que a grávida tenha uma circulação sanguínea com um volume maior, o que pode levar a um quadro de gengivite, caso haja falhas na higiene bucal”, conta.

Embora pareça inofensiva, a doença bucal pode trazer grandes riscos à saúde do bebê. “Existe um hormônio presente na doença gengival chamado de ocitocina que pode provocar a indução de um parto prematuro”, ressalta. Por isso, é fundamental que as gestantes mantenham um acompanhamento odontológico durante a gravidez para prevenir esse e outros problemas bucais que afetam o bebê.

2. O nascimento dos primeiros dentes do bebê

De maneira geral, a dentição da criança e do bebê são divididas em duas partes. A primeira é caracterizada pelo surgimento dos dentes de leite logo após o nascimento do bebê. “Os primeiros começam a apontar para fora da gengiva por volta dos seis meses de idade. No total serão 20 dentes de leite e todos estarão crescidos quando a criança completar três anos”, revela a dentista Vânia Cortes.

Já a segunda parte da dentição aparece por volta dos seis anos, que é quando ocorre a transição entre os dentes de leites e os permanentes. Nesse momento, também se inicia a chamada dentição mista que costuma durar até os 12 anos de idade.

2.1. A importância da amamentação para a dentição do bebê

Que a amamentação é um momento importante para o desenvolvimento do organismo do bebê não é novidade. Mas, o que poucos sabem é que, além de oferecer os nutrientes necessários que os pequenos precisam para crescer, o leite materno também oferece vantagens para a saúde bucal do bebê. “Como toda criança nasce com a mandíbula menor do que a maxila, a amamentação ajuda a alcançar o equilíbrio, já que durante a mamada os movimentos promovem exercícios importantes para desenvolver músculos e ossos”, explica a odontopediatra Amanda Mattos.

Além disso, a sucção do leite contribui para que o bebê movimente toda a musculatura envolvida neste ato, resultando em um crescimento harmônico de toda a face. Por isso, especialistas alertam que a falta de amamentação pode resultar em alguns problemas bucais a longo prazo. “O crescimento inadequado dos ossos por falta desse estímulo afeta funções importantes, como a mastigação, deglutição, fonação e respiração são alguns deles”, alerta Amanda.

2.2. Os sinais de nascimento dos primeiros dentes

- Salivação excessiva;
- Maior irritabilidade na gengiva;
- Choro excessivo;
- Vermelhidão no tecido gengival;
- Hábito de levar mão e objetos à boca.

Para aliviar esses desconfortos, existem alguns cuidados simples e práticos que podem ajudar, como o uso de mordedores de boa qualidade e aplicação de gaze umedecida em água gelada na gengiva do bebê.

2.3. Os cuidados com a higiene bucal infantil durante a amamentação

Ainda que o leite materno ofereça uma série de benefícios para a saúde bucal do bebê, ele também pode trazer alguns riscos, como cáries, quando não há uma boa rotina de higiene oral. “É importante que, diariamente, seja feita uma limpeza na gengiva e língua da criança através de uma gaze umedecida, ou até mesmo a fralda limpa, após cada mamada”, recomenda Amanda.

3. Como cuidar dos dentes do bebê

Na hora de cuidar da saúde bucal do bebê, existem alguns hábitos que podem fazer toda a diferença. A higiene bucal, por exemplo, é um dos fatores que requer uma atenção redobrada e o uso de produtos específicos. Para garantir que o saúde do sorriso do seu filho esteja em dia, veja algumas dicas abaixo:

3.1. Produtos de higiene bucal devem ser específicos para faixa etária

Assim como os permanentes, os dentes de leite também exigem uma rotina de higiene bucal diária. “O ideal é que seja realizada com a escova de cerdas macias e cabeça pequena, usando uma quantidade mínima (um grãozinho de arroz) de pasta de dentes fluoretada contendo flúor acima de 1000 ppm”, explica a dentista Simone Rocha.

Nesse sentido, a odontopediatra ressalta: quantidades menores de flúor do que a indicada não são o suficiente para combater problemas bucais. "Os bebês também podem ter cárie dentária e gengivite e, quando isso acontece, frequentemente estão associadas à má higiene oral”, completa ela. Além disso, vale lembrar que a escolha dos produtos deve levar em consideração a idade do bebê.

3.2. Redobre a atenção com beijos e brinquedos

Se engana quem pensa que a cárie é a única doença que pode afetar a saúde bucal do bebê. Na verdade, os pequenos também não estão imunes a doenças transmitidas pela saliva, como candidíase, herpes e outras infecções. Por isso, é importante evitar alguns hábitos comuns durante essa fase que podem resultar nos quadros, como beijar a boca do bebê. Além disso, é necessário limpar os brinquedos em que eles colocam a boca, incluindo mordedores e chupetas.


TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal infantil