25.11.2020

Qual enxaguante bucal ajuda a tratar o mau hálito? Entenda se esse produto de higiene bucal é capaz de melhorar a halitose

O enxaguante bucal é um grande aliado quando o assunto é cuidar da higiene da boca. Mas será que ele também pode contribuir para o tratamento de mau hálito? Veja o que um especialista diz sobre o assunto!
O enxaguante bucal é um grande aliado quando o assunto é cuidar da higiene da boca. Mas será que ele também pode contribuir para o tratamento de mau hálito? Veja o que um especialista diz sobre o assunto!

Que o mau hálito é um dos problemas bucais mais temidos entre os pacientes não é novidade. Justamente por isso, é comum que a primeira atitude ao notar esse incômodo seja buscar por alternativas que ajudem a tratar o odor. O uso de enxaguante bucal, por exemplo, é a principal entre elas. Mas será que esse produto de higiene bucal realmente é capaz de tratar a halitose? Para esclarecer essa e outras dúvidas, o Sorrisologia conversou com o dentista Nelson Afarano. Confira!

Como o mau hálito surge?

O mau hálito - ou halitose, como também é conhecido - pode surgir por uma série de motivos diferentes. De acordo com o especialista, mais de 90% dos casos estão relacionados à cavidade bucal, principalmente devido a presença da saburra lingual, cárie e doenças da gengiva. No entanto, existem outros fatores que também podem resultar nesse incômodo. “A ingestão de certos alimentos, como cebola, alho e temperos, e bebidas alcoólicas pode causar o mau hálito. Da mesma maneira, algumas doenças, como diabetes, sinusite, infecções de garganta e gastrite também podem contribuir para o quadro”, revela o dentista. Além disso, os pacientes que mantêm o uso de algumas medicações específicas, como antidepressivos, também podem apresentar o problema.

O enxaguante bucal não é a melhor opção para tratar o mau hálito

Ao contrário do que se pensa, o uso do enxaguante bucal não ajuda a tratar o mau hálito. Segundo Nelson, essa afirmação não passa de um grande equívoco. “Além de não combater o mau hálito, o enxaguante bucal mascara as verdadeiras causas por trás do incômodo, agravando o quadro e causando uma falsa ilusão que pode resultar em problemas bucais mais graves no futuro”, ressalta o profissional. Isso porque, diferente da escova de dentes e o fio dental, o enxaguante bucal não remove os resíduos e a placa bacteriana da cavidade bucal, que costumam ser os principais responsáveis pelo mau hálito. Ou seja: ele gera apenas uma sensação falsa e passageira de um hálito refrescante.

Saiba como usar o enxaguante bucal para garantir uma boa higiene bucal

Embora o enxaguante bucal não seja a melhor opção para o tratamento de mau hálito, é importante lembrar que o produto é fundamental para garantir uma boa higiene bucal. Para isso, o especialista alerta que é necessário ter alguns cuidados na hora de escolhê-lo. “Existem diferentes tipos de enxaguantes bucais e cada um possui características específicas. Os que não contém álcool em sua fórmula, por exemplo, são os mais usados, já que a presença do líquido pode ressecar a mucosa e tornar o esmalte dentário mais poroso e suscetível a manchas”, afirma. Além deste, os enxaguantes bucais com flúor também são recomendados, especialmente para prevenir o surgimento de cáries.

Na hora de utilizá-los durante a higiene bucal, o dentista Nelson adianta: o ideal é fazer o bochecho com enxaguante bucal durante um minuto após a última escovação do dia. “Nesse caso, o recomendado é não diluir o produto ou enxaguar a boca com água depois de usá-lo”, finaliza.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Nelson Alfarano - Especialista em implantologia, reconstrução maxilar, cirurgia plástica periodontal e odontologia estética
CRO-RJ: 18163


TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal