08.04.2021

O que é uma cárie inativa?

Cáries podem ser ativas ou inativas, mas ambas precisam ser tratadas para evitar problemas futuros
Cáries podem ser ativas ou inativas, mas ambas precisam ser tratadas para evitar problemas futuros

A cárie é um problema bastante comum na vida da população brasileira. Ela é causada por bactérias acumuladas na boca que destroem o esmalte dos dentes. Como esses microorganismos são imperceptíveis ao olho humano, cuidar dos dentes se torna algo essencial para evitar esse problemas e zelar pela saúde bucal. O que muita gente não sabe é que a cárie pode ser progressiva ou estagnada, e no caso dela estar parada é chamada de cárie inativa. Para ajudar a entender melhor sobre esse tipo de cárie, a nossa equipe do Sorrisologia reuniu algumas informações. Confira!

O que é a cárie inativa?

A cárie inativa nada mais é do que uma lesão estagnada. A bactérias iniciam o processo de danificação do dente, mas por algum motivo, como a melhora da higiene bucal ou a remoção de placas dentárias, acabam não evoluindo e não chegam a corroer o esmalte dos dentes. Esse tipo de cárie pode não gerar maiores transtornos, mas é necessário ter um cuidado maior com os dentes caso ela apareça. Para saber se ela está presente no seu sorriso, o dentista utiliza uma série de ferramentas durante o atendimento e faz uma avaliação a fim de identificar se a cárie do paciente é inativa ou ativa.

Quais são as principais diferenças entre a cárie ativa e a inativa?

Como já mencionado, a cárie inativa ocorre quando a cárie dental fica paralisada. Já quando se trata de uma cárie ativa, ela dá continuidade ao processo de deterioração do dente. Com esse tipo de problema avançado, é possível que ocorram danos na cavidade bucal do paciente, como a dificuldade na mastigação de alimentos, sensibilidade dentária e dor. Normalmente esse tipo de situação exige uma restauração completa do dente afetado e é finalizado com o processo de obturação para recompor o elemento dentário.

Como é possível identificar esse tipo de problema?

A cárie se inicia com manchas brancas que podem evoluir para manchas escuras, porém há casos que só podem ser identificados microscopicamente ou por meio de raio-x. Quando manchas brancas começam a aparecer, é bom evitar alimentos que contêm muito açúcar e fazer a escovação regularmente, além de marcar uma consulta assim que possível. Agora, se houver manchas mais escuras ou qualquer incômodo nos dentes, a procura por um atendimento com o dentista precisa ser de imediato. A cárie ativa pode formar uma cavidade bem úmida com aspecto marrom-claro ou amarelado dentro do dente. Já com a cárie inativa, os buracos têm uma aparência endurecida e seca que, em sua maioria, possuem uma coloração amarronzada.

Como é feito o tratamento desses tipos de cárie?

Como a cárie inativa é praticamente um estágio inicial do problema, seu tratamento não é tão invasivo como quando a cárie ativa está presente. Por não ter provocado danos ao esmalte dental, fortalecer o dente com resina branca é algo que pode ajudar a tratar a cárie inativa. No entanto, a melhor forma de cuidar dos seus dentes nessa situação é fazendo a escovação diariamente após as refeições e comparecendo ao dentista para fazer a limpeza dentária em um intervalo de 6 a 12 meses. Caso o paciente apresente uma situação mais avançada de cárie ativa, que avança progressivamente, o dentista pode acabar precisando fazer uma restauração do dente, com o uso de brocas para remover por completo o tecido dental já alterado pelas bactérias da cárie.


Tags:

TODAS AS MATÉRIAS: cárie