18.07.2022

Seis motivos principais para sangramento na gengiva

Conheça 6 causas comuns de sangramento na gengiva
Conheça 6 causas comuns de sangramento na gengiva

Sangramento na gengiva é um sinal de que algo não vai bem com a saúde bucal. O quadro costuma ter relação com gengivite, uma inflamação que ocorre devido ao acúmulo de placa bacteriana e/ou tártaro na gengival. Se não for tratado, o problema evolui para uma periodontite e pode resultar na perda do dente. Contudo, antes de tirar conclusões precipitadas, o ideal é sempre consultar um dentista primeiro. A gengiva sangrando também pode ser causada por outros fatores menos graves, mas que ainda assim merecem atenção especial.

O Sorrisologia conversou com o dentista Edson Rodrigues de Paula Neto e a nutricionista Gabriela Cilla para saber mais sobre as principais causas de sangramento na gengiva. Confira.

  1. Gengivite: doenças periodontais são as principais causas de gengiva sangrando

    A primeira suspeita de sangramento na gengiva é a gengivite. Segundo o dentista, a inflamação ocorre quando há um acúmulo de placa bacteriana ao redor ou entre os dentes, deixando o local irritado e inchado. “Esse inchaço e irritação da gengiva facilitam o sangramento da mesma. É um mecanismo de defesa tentando expulsar qualquer corpo estranho ou sujeira. O sangramento, na verdade, indica que há alguma coisa que não deveria estar ali”, explica o especialista.

    Além de gengiva inchada e sangrando, a gengivite também pode causar vermelhidão, dor e mau hálito. Quando não tratada, o quadro tem grandes chances de se transformar em uma periodontite. A doença afeta as estruturas que dão suporte aos dentes e pode causar danos graves, como perda dentária.

  2. Tabagismo: hábito de fumar deixa as pessoas mais suscetíveis a inflamações na gengiva

    Fumar também é outro fator de risco para sangramento na gengiva. O dentista comenta que pessoas fumantes estão mais vulneráveis a gengivite e periodontite. “O tabagismo acaba enfraquecendo a capacidade do corpo de evitar infecções. Então, se há uma inflamação ou infecção na gengiva, o corpo perde a capacidade de evitar o problema e dificulta o combate”, afirma.

    O melhor tratamento para combater a gengivite por tabagismo é parar de fumar. Contudo, quem não abre mão do cigarro precisa manter uma boa rotina de higiene oral, além de realizar check-ups frequentes.

  3. Próteses dentárias: estrutura mal posicionada machucam a gengiva e podem causar sangramento

    Próteses mal encaixadas também podem afetar a gengiva. De acordo com o dentista, as estruturas machucam o tecido gengival quando não estão bem adaptadas, deixando a região irritada. “O paciente sente desconforto e, às vezes, inchaço. Geralmente, esse é um quadro reversível e melhora assim que o dentista ajusta”, diz o profissional.

    Edson também ressalta que pessoas com próteses dentárias precisam redobrar os cuidados com a higiene. Em alguns casos, a estrutura favorece o acúmulo de comida e outras sujeiras nos dentes e nas gengivas. “Isso também pode influenciar na gengivite ou em uma inflamação na região”, destaca.

  4. Uso incorreto da escova e do fio dental: higiene mal feita pode causar sangramento na gengiva depois escovar os dentes

    Gengiva sangrando ao escovar os dentes é um sinal de que a higiene oral está sendo feita de maneira inadequada. Um dos motivos mais recorrentes é usar a escova com muita força. O hábito ainda aumenta a sensibilidade dentinária e causa retração gengival. A orientação, nesses casos, é fazer movimentos suaves e sem pressa. “Os dentistas recomendam a utilização de uma escova com cerdas macias e uma cabeça pequena. Assim, a escova consegue acessar todas as regiões da boca, inclusive os dentes do fundo”, explica o dentista.

    Edson aproveita para citar o uso inadequado do fio dental como outra causa comum de gengiva sangrando. Segundo o dentista, passar o fio com força machuca o tecido gengival e aumenta os riscos de inflamação na região. “O paciente usa a força e acaba forçando contra a gengiva, causando o sangramento por trauma”, comenta. O especialista também diz que certos movimentos durante a limpeza ajudam a empurrar a sujeira para baixo. “O paciente não vai conseguir remover os restos de comida na região da gengiva”.

    Portanto, saber como usar o fio dental corretamente é fundamental para a saúde bucal. “O mau uso dele ou a utilização incorreta pode gerar influência na gengivite e no que isso acarretaria”, esclarece.

  5. Má alimentação: deficiência em alguns nutrientes favorece sangramentos na gengiva

    A alimentação está diretamente relacionada à saúde bucal. Edson explica que a falta de alguns nutrientes deixa as gengivas mais sensíveis, acarretando em sangramentos esporádicos. Já a nutricionista Gabriela Cilla pontua que certos alimentos podem ser irritativos e agredir a gengiva, que por ser uma mucosa, é naturalmente mais sensível. “Alimentos que sejam extremamente ácidos causam alteração do pH intestinal, logo aumento da salivação. Como a saliva tem um pH mais ácido, ela também pode machucar a nossa gengiva”.

    Para evitar o sangramento na gengiva, a nutricionista orienta os pacientes a sempre priorizarem alimentos que auxiliam na saúde bucal. “Fontes de cálcio, como o leite, e todas as leguminosas, como feijão e grão-de-bico”. A nutricionista ainda cita as verduras verde escuras, as fibras e frutas. Porém, é preciso ter cautela com as frutas cítricas, bem como os alimentos ácidos. “Quando for comer algum alimento que seja muito ácido, beber água logo em seguida, para quebrar um pouco esse pH”, comenta a especialista.

  6. Diabetes: pessoas com a doença podem sentir a gengiva sangrando do nada

    Algumas pessoas diabéticas tendem a sofrer com sangramentos na gengiva pontuais. O dentista afirma que isso acontece porque quem tem diabete está mais inclinado para desenvolver gengivite e periodontite. “Uma doença está associada a outra. Quem tem gengivite e periodontite por diabetes precisa controlar uma para que a outra melhore. Não adianta a pessoa diabética cuidar da diabetes e esquecer da saúde bucal ou vice-versa”, finaliza Dr. Edson.

Fontes:

Dr. Edson Rodrigues de Paula Neto, cirurgião dentista, diretor da Clínica All Smiles. Especialista em próteses e implantodontia, membro da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas). Mestre em Estomatologia e Diagnóstico Bucal pela Universidade Paulista (UNIP)

Dra. Gabriela Cilla, nutricionista da Clínica NutriCilla. Nutricionista clínica, funcional e esportiva. Também é gastróloga. Graduada em Gastronomia pelo SENAC; Graduada em Nutrição pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Pós-Graduada em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria.


Tags:

saúde bucal gengivite gengiva

Publicador de Conteúdos e Mídias

TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal