Quais as indicações para cirurgia ortognática?

18.05.2021

Quais as indicações para cirurgia ortognática?

Saiba para quais casos a cirurgia ortognática é recomendada e os cuidados necessários no pós-operatório
Saiba para quais casos a cirurgia ortognática é recomendada e os cuidados necessários no pós-operatório

Você já ouviu falar em cirurgia ortognática? Responsável por corrigir alterações no crescimento dos ossos do rosto, o procedimento é capaz de prevenir e tratar uma série de incômodos, como distúrbios da mordida, articulações e respiração. Por esse motivo, a preocupação com a estética e a saúde tem levado diversas pessoas aos consultórios em busca da cirurgia de mandíbula. No entanto, será que basta o desejo para realizar um procedimento de sucesso? Para esclarecer essa dúvida, conversamos com a dentista Rhianna Barreto que revelou as principais indicações para cirurgia ortognática.

Antes de tudo, entenda o que é a cirurgia ortognática

De acordo com a especialista, a cirurgia ortognática é um procedimento que consiste na correção de deformidades dentais e faciais em pacientes com deficiência maxilar, mandibular ou em ambas as partes. Dessa maneira, a técnica consiste no reposicionamento estrutural da face. “A cirurgia ortognática é feita por etapas. De início, o paciente deve fazer o preparo ortodôntico e psicológico. Em seguida, o preparo cirúrgico através de planejamento virtual e guias cirúrgicos”, explica a Dra. Rhianna. Quanto ao procedimento cirúrgico, ele é realizado com fraturas em locais programados para promover o reposicionamento dos ossos da maneira correta.

Para quais casos a cirurgia ortognática é indicada?

Assim como qualquer outro procedimento, a cirurgia ortognática também possui recomendações específicas. “Casos em que existe uma deficiência maxilar, mandibular ou ambas que prejudicam a parte estética e funcional, causando problemas na mastigação, respiração, fala e deglutição, são os mais indicados para o procedimento”, afirma a dentista. Geralmente, algumas características, como queixo grande ou pequeno, face torta e sorriso gengival, indicam a necessidade de uma cirurgia ortognática.

Por outro lado, existem alguns pacientes que não devem realizar a cirurgia ortognática - mesmo com a presença de deformidades na região da face. Por isso, é importante ter um acompanhamento profissional para realização de exames de imagem e sangue prévios para garantir a segurança durante o procedimento. “Deformidades decorrentes de síndromes, por exemplo, devem ser avaliadas por uma equipe multiprofissional, incluindo dentista, ortodontia, psicólogo e nutricionista”, conta.

Cirurgia ortognática: pós-operatório requer alguns cuidados importantes

Para garantir o sucesso da cirurgia ortognática, existem algumas medidas que devem ser seguidas após a realização do procedimento. A alimentação, por exemplo, é um dos fatores mais importantes durante esse período. Nesse caso, é necessário aderir uma dieta pastosa e líquida nas primeiras semanas, aumentando a consistência dos alimentos a partir da orientação médica.

Os cuidados com a higiene bucal também devem ser redobrados no pós-operatório para evitar dores e inflamações na gengiva. Além disso, a especialista alerta para a necessidade de seguir as prescrições quanto à medicação e a realização de fisioterapia, assim como o tratamento ortodôntico e psicoterápico.

 

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Rhianna Barreto - Cirurgiã-Dentista
Rio de Janeiro - RJ
CRO-RJ: 37448


TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal