Pacientes com síndrome de Down: cuidados com a higiene bucal, a importância de um atendimento especializado e problemas bucais mais comuns

05.11.2020

Pacientes com síndrome de Down: cuidados com a higiene bucal, a importância de um atendimento especializado e problemas bucais mais comuns

Entenda como um atendimento especializado faz toda diferença na vida de um paciente com síndrome de down
Entenda como um atendimento especializado faz toda diferença na vida de um paciente com síndrome de down

Cuidar do sorriso é um hábito que precisa existir na rotina de todos. Porém, algumas pessoas necessitam de mais atenção quando o assunto é a saúde bucal, como é o caso dos pacientes com síndrome de Down. Além de uma boa rotina de higiene bucal, eles também devem ir com regularidade ao dentista e consultar, de preferência, um profissional especializado no atendimento de pacientes com necessidades especiais. Para entender melhor a importância desses cuidados, o Sorrisologia entrevistou a dentista Daniele Machado.

Características bucais que um paciente com síndrome de Down

- Lábios e língua fissurados;

- Mandíbula e cavidade oral pequenas;

- Palato atrésico;

- Fenda labial e palatina.

Doenças bucais comuns nos pacientes com síndrome de Down

A dentista Daniele explica que é comum encontrar algumas alterações oclusais nos pacientes, como mordida cruzada anterior e posterior, isso acontece porque a má posição da língua produz força anormal nos dentes. Além disso, observa-se ainda: "Bruxismo e macroglossia, retardo no nascimento dos dentes, alteração de forma e até mesmo ausência de alguns elementos dentários", revelou. Além disso também podemos citar o acúmulo de placa bacteriana, gengivite, periodontite, úlceras aftosas, infecções orais por cândida, destruição periodontal severa, halitose e perda precoce dos dentes.

Dentre as doenças crônicas sistêmicas, destacam-se: cardiopatias, a mais frequente sendo o prolapso da válvula mitral e a probabilidade de ocorrer endocardite bacteriana - que nesses casos é de 3 a 8 vezes maior. Para prevenir, o dentista deve fazer uma profilaxia antibiótica antes de realizar procedimentos invasivos.

A especialista ainda lista outros problemas: "Hipotireoidismo, disfunção da tireoide que pode afetar diretamente o desenvolvimento dos ossos e dentes, ocasionando atraso no nascimento tanto dos dentes de leite quanto permanentes; alterações nas vias respiratórias, que provocam ressecamento das mucosas e outras estruturas bucais facilitando o aparecimento de cáries e da periodontite", atentou.

Cuidados com a higiene bucal que um paciente com síndrome de Down precisa ter e reforçar

Para que o paciente com síndrome de Down tenha um sorriso saudável, é fundamental praticar alguns cuidados de higiene bucal que vão além de escovar os dentes. A profissional cita todos eles: "O acompanhamento periódico com o dentista deve ser preconizado; o papel da família é primordial para o sucesso do tratamento odontológico, receber orientações como estimulação do aleitamento materno quando possível, adotar uma alimentação saudável, reformar a imunização e a higienização supervisionada é fundamental". Com um plano de tratamento adequado o paciente consegue combater as doenças bucais que são comuns na sua boca. 

Escova de dentes elétrica e outros produtos que podem facilitar a higiene bucal

Por conta da limitação motora que muitos pacientes com síndrome de Down apresentam, existem ferramentas que tornam a higiene bucal bem mais fácil, como é o caso da escova de dentes elétrica. Essa tecnologia possui um motorzinho que realiza uma série de vibrações nas cerdas, otimizando a remoção da placa bacteriana e outras sujeirinhas na superfície e no espaço entre os dentes. Assim, basta o paciente movimentar a escova por todos os cantos da arcada dentária.

A importância de um atendimento odontológico especializado

A inclusão do cirurgião-dentista na terapia de um paciente com síndrome de Down é fundamental. "A busca por auxílio odontológico deve ser o mais cedo possível, tendo em vista a erupção dentária e a predisposição ao desenvolvimento de doenças periodontais e cárie devido às alterações bucais, deficiência motora e neurológica do paciente, além da necessidade de orientar os responsáveis", ressaltou Daniele.

A odontologista ainda conta que o Conselho Regional de Odontologia do Distrito Federal e a Secretaria de Estado de Saúde criaram uma comissão para o atendimento odontológico ao paciente com necessidades especiais e elaboraram um protocolo de atendimento através de um manual . "Este documento é muito interessante, pois auxilia o cirurgião-dentista na questão do atendimento, que nem sempre é fácil, por isso requer atuação especializada".

Esse artigo contou com a participação de:

Daniele Machado
CRO-RJ 26.953
Cirurgiã-dentista formada pela Universidade Federal Fluminense e mestranda em prótese na Faculdade São Leopoldo Mandic Campinas. Ela é uma profissional com ampla experiência no atendimento clínico, planejamento e execução de reabilitações orais e estéticas, inclusive implantes.


TODAS AS MATÉRIAS: higiene bucal