04.08.2020

Membrana L-PRF: conheça esse novo tipo de enxerto usado nas cirurgias de implantes

Saiba mais sobre a membrana L-PRF e entenda como ela pode beneficiar o seu sorriso
Saiba mais sobre a membrana L-PRF e entenda como ela pode beneficiar o seu sorriso

Quando se trata de procedimentos odontológicos, o implante dentário é, certamente, um dos mais temidos entre os pacientes. Afinal, quem nunca ouviu dizer que a cirurgia possui um processo de cicatrização demorado e outras histórias? Mas, se você está pensando em resolver o incômodo da ausência de dentes, saiba que graças aos avanços tecnológicos, implantar um dente está longe de ser um processo complicado. Um exemplo dessa modernização é o uso da membrana L-PRF. Para entender melhor sobre o assunto, o Sorrisologia preparou uma matéria com tudo o que você precisa saber sobre esse novo tipo de enxerto.

O que é a membrana L-PRF?

A membrana L-PRF - ou fibrina rica em plaquetas e leucócitos - nada mais é do que um material de enxerto obtido a partir da centrifugação controlada do plasma. Após a centrifugação do sangue, ela é obtida, sem nenhum tipo de aditivo e com uma concentração de leuco-plaquetários. Justamente por isso, ela é capaz de liberar fatores de crescimento durante um período de tempo, o que contribui para o processo de cicatrização dos procedimentos odontológicos, especialmente o implante dentário.

Para que serve a membrana L-PRF?

Essa tecnologia foi desenvolvida para aumentar significativamente o tempo e a velocidade da reparação de enxertos ósseos e tecidos moles, utilizando com o objetivo de melhorar as condições e diminuir o tempo de cicatrização dos tecidos, o que contribui para uma série de procedimentos odontológicos, como o implante dentário. Por isso, a técnica é considerada mais simples e rápida de preparar e aplicar. Além disso, também possui o protocolo mais econômico desenvolvido presente na odontologia.

Saiba os benefícios de usar a membrana L-PRF no seu implante dentário

1) Por ser um enxerto derivado do sangue do paciente, a membrana L-PRF transforma as células-tronco em células específicas para a formação de ossos ou gengiva, acelerando os efeitos de cicatrização e cura;
2) A membrana L-PRF oferece um processo de cicatrização do implante dentário mais eficaz comparado ao de uma cirurgia feita com o plasma convencional;
3) Conforto, já que o paciente garante um pós-operatório menos doloroso;
4) A tecnologia também garante uma cicatrização mais rápida quando utilizada em extrações de dentes do siso;
5) É mais econômico para o dentista, que não precisa gastar tanto com material e para o paciente, que não precisa mais ir a tantas consultas para possíveis reparos após o procedimento odontológico. Resumindo: todo mundo sai ganhando!


Se interessou por essa tecnologia? Antes de iniciar fazer o implante dentário, verifique se o ortodontista faz uso da membrana L-PRF no consultório!


TODAS AS MATÉRIAS: implante dentário