12.08.2021

Disfunção temporomandibular e dor orofacial têm relação?

Saiba como a disfunção temporomandibular e a dor orofacial podem estar relacionadas e como tratar essas condições.
Saiba como a disfunção temporomandibular e a dor orofacial podem estar relacionadas e como tratar essas condições.

A disfunção temporomandibular, também conhecida como DTM, é uma condição que pode atingir todas as idades. Caracterizado como uma anormalidade no funcionamento da articulação temporomandibular (ATM), o quadro costuma causar uma série de incômodos, como dificuldade de mastigar e estalos na mandíbula. Mas, o que poucos sabem é que a DTM também pode estar associada à dor orofacial. Para entender melhor a relação entre esses problemas, nós conversamos com o dentista Gustavo Issas, de São Paulo, que é especialista no assunto. Veja o que ele nos contou! 

DTM e dor orofacial: entenda o que caracteriza esses quadros

Para descobrir a relação entre a DTM e a dor orofacial, é preciso entender os fatores que caracterizam essas condições. A disfunção temporomandibular, por exemplo, está diretamente relacionada à ATM - que é a articulação responsável pelos movimentos da boca, como mastigação e fala. Na maioria das vezes, os agentes causadores da DTM são ligados a genética, desequilíbrios na arcada dentária, bruxismo e questões emocionais, como estresse e ansiedade. Por outro lado, a dor orofacial é uma condição desencadeada por outros problemas. “Pode ser uma dor no nervo trigêmeo, uma dor muscular e até mesmo uma dor advinda do bruxismo ou da cefaleia”, afirma o especialista. 

A dor orofacial pode ser uma consequência da disfunção temporomandibular

Depois de descobrir a definição dos quadros, você deve estar se perguntando qual a relação entre a DTM e a dor orofacial, certo? De acordo com o especialista, a resposta para essa questão é bem simples. "Quando o paciente possui uma disfunção temporomandibular é comum ocorrer a dor orofacial”, revela o Dr. Gustavo. Isso porque, na maioria das vezes, as condições estão relacionadas.

Outro ponto em comum entre os quadros são as suas causas. “A ansiedade e estresse, assim como o desequilíbrio dos dentes, podem provocar tanto a disfunção temporomandibular quanto a dor orofacial”, conta. Por isso, ao notar a presença de incômodo na região da face, é importante consultar um especialista o quanto antes. Dessa forma, é possível garantir um diagnóstico correto e, em caso de DTM, iniciar o tratamento para evitar danos à sua saúde bucal, como desgaste dentário e perda óssea.

Saiba como tratar a DTM e a dor orofacial

De maneira geral, existem alguns cuidados que podem ajudar a aliviar os sintomas da DTM, incluindo a dor orofacial. A placa interoclusal, popularmente conhecida como placa para bruxismo, é uma das medidas mais indicadas para o quadro. “É uma placa lisa que desliza quando o paciente realiza o movimento de apertar os dentes, fazendo com que o músculo relaxe e os danos sejam evitados”, conta o profissional. 

Outro tratamento que também pode ajudar em casos de disfunção temporomandibular e dor orofacial é o uso da toxina botulínica. “Ela tem o poder de diminuir a ação muscular, fazendo com que o paciente aperte menos os dentes em situações de estresse, que resultam na DTM”, revela o dentista. No entanto, vale ressaltar que o uso da toxina botulínica pode oferecer uma desvantagem quanto à sua durabilidade. “A técnica costuma durar pouco tempo, enquanto a placa para bruxismo pode ser utilizada por anos”, finaliza. 

 

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Gustavo Issas - Cirurgião-dentista e pós-graduado em disfunção temporomandibular pela Escola Paulista de Medicina. Pós-graduado em implantes dentários pela Universidade

São Paulo - SP


TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal