Como é o tratamento da retração gengival? Descubra as causas, os sintomas e como amenizar a recessão gengival
O tratamento de retração gengival pode ser feito por meio de enxertos de gengiva, que ajudam a cobrir a área afetada
O tratamento de retração gengival pode ser feito por meio de enxertos de gengiva, que ajudam a cobrir a área afetada

Publicador de Conteúdos e Mídias

Como é o tratamento da retração gengival?

A retração gengival pode ser tratada por meio de enxertos de gengiva (procedimento cirúrgico) ou até mesmo através de restaurações com resina, que ajudam a proteger os dentes.

28/04/2022

Compartilhar em suas redes

Publicador de Conteúdos e Mídias

A retração gengival é uma condição bastante comum, que afeta principalmente quem tem bruxismo, doença periodontal ou maus hábitos de higienização bucal. Também chamado de recessão gengival, esse problema requer tratamentos específicos, que servem para consertar tanto a parte estética quanto funcional da gengiva. Para saber mais sobre o assunto, o Sorrisologia conversou com a dentista Caroline Bittencourt, que falou mais sobre como tratar retração gengival corretamente e ainda deu dicas para evitar o problema com mudanças no dia a dia.

O que é retração gengival? 

Caso você perceba que a gengiva está diminuindo com relação ao dente, o ideal é consultar um profissional especializado. De acordo com a Dra. Bittencourt, a retração gengival é um problema que requer atenção especial. “É quando existe uma exposição das raízes dos dentes pela perda gengival e óssea da região afetada. A gengiva e o osso migram em direção ao ápice das raízes dentárias, expondo-as”, explica a profissional.

Retração gengival: tratamento para reverter o quadro

De acordo com a dentista, é possível tratar retração gengival de diferentes maneiras. Caso a gengiva esteja muito retraída, o mais indicado, na maioria das vezes, é fazer um pequeno procedimento cirúrgico para cobrir a área. No entanto, depende muito da situação de cada paciente. “Se existe um comprometimento estético importante, o tratamento se dá através de enxertos gengivais - quando retiramos uma faixa de gengiva de uma região doadora e cobrimos a área ou reposicionamos a porção gengival próxima à porção afetada. No entanto, a causa deve ser removida, senão o sucesso do enxerto fica comprometido”, destaca a especialista.

Em vez de atuar diretamente sobre a gengiva, é possível direcionar o tratamento para o dente que está com a raiz exposta. De acordo com a Dra. Bittencourt, essa opção pode ajudar bastante a amenizar os sintomas. “Restaurações em resina também podem ser realizadas quando não existe um comprometimento estético importante. Ajuda a reduzir a sensibilidade e devolve a uniformidade da coloração do dente. Quando a retração é causada por doença periodontal, muitas vezes existe uma perda óssea e gengival generalizada, ficando limitada a restauração estética desse paciente”, complementa.

O que causa retração gengival?

Para auxiliar no tratamento da recessão gengival, é importante entender quais são as causas do problema - isto é, quais hábitos ajudam a acentuar os sintomas e como evitá-los. A dentista destaca que falhas na escovação e certos vícios, por exemplo, podem ser prejudiciais para quem tem tendência a ter a gengiva retraída. Confira as principais causas 

Recessão gengival pode ser causada por doenças periodontais

De acordo com a Dra. Bittencourt, quadros de gengivite, periodontite e outras doenças bucais (inflamações e infecções) tendem a deixar a gengiva mais fragilizada.“Uma das principais causas da retração gengival é a sequela de uma doença periodontal prévia. Quando o paciente apresenta uma grande quantidade de tártaro e má higiene, normalmente a doença periodontal está presente, causando a perda dos tecidos que circundam os dentes. Essa é irreversível e considerada um dos principais tipos de retração gengival”, destaca a especialista.

Traumas podem afetar a estrutura da gengiva

Sofrer fraturas dentárias por conta de quedas, acidentes ou maus hábitos (de mastigação e higiene, por exemplo) também pode causar recessão gengival, sabia? A dentista destaca que esses pontos influenciam na saúde da gengiva. “Ela pode acontecer também por trauma oclusal, quando um dente sofre uma pressão exagerada da mastigação, normalmente por mau posicionamento, levando também a uma perda dos tecidos periodontais”, afirma. 

Escovar os dentes com força pode retrair a gengiva

Sabe quando você força demais a escova de dentes a ponto de machucar sem querer a gengiva? Esse tipo de situação também é prejudicial para quem tem retração gengival. Por isso, de acordo com a Dra. Bittencourt, ter atenção na rotina de higiene bucal é um dos pontos mais importantes. “O trauma de escovação também é bastante comum. Pessoas que utilizam escovas com cerdas duras e fazem muita pressão durante a escovação tendem a apresentar retração gengival. A orientação é que sejam utilizadas escovas com cerdas macias. Para segurar a escova de dentes, o ideal é fazer uma pinça com os dedos, e não ficar com o punho cerrado”, orienta a profissional. 

Uso de aparelho ortodôntico pode causar retração de gengiva

O uso de aparelho ortodôntico também pode ser um causador da retração de gengiva. Por isso, antes de iniciar esse tipo de tratamento odontológico, é muito importante realizar exames e contar com a opinião de um profissional especializado. “Outro fator que também pode causar retração gengival é a movimentação ortodôntica. Quando o paciente apresenta um perfil gengival fino, as retrações durante a ortodontia podem ser bastante comuns”, explica a dentista.

Recessão gengival: quais os principais sintomas?

É bastante comum que a retração gengival gere incômodo na boca - principalmente quando o indivíduo consome muitos alimentos ácidos, refrigerantes e tem uma rotina precária de higiene bucal. De acordo com a Dra. Bittencourt, tratar o problema e tomar cuidados no dia a dia é importante para amenizar ao máximo os sintomas de desconforto.“Os principais sinais e sintomas são sensibilidade, exposição radicular, perda óssea na região e um comprometimento estético, principalmente se o paciente expõe a gengiva ao sorrir”, finaliza a especialista.

Mais Recentes

Publicador de Conteúdos e Mídias