17.07.2018

Tratando doenças gengivais durante o tratamento ortodôntico. É preciso interromper o uso do aparelho dentário?

Sim, usar aparelho fixo pode dificultar a hora da higiene bucal. E isso abre espaço para a instalação da gengivite. Você sabe como é feito o tratamento nesses casos? Saiba o que fazer e cuide de sua saúde bucal
Sim, usar aparelho fixo pode dificultar a hora da higiene bucal. E isso abre espaço para a instalação da gengivite. Você sabe como é feito o tratamento nesses casos? Saiba o que fazer e cuide de sua saúde bucal

Muitos pacientes, aos escovarem os dentes, podem notar um sangramento na região gengival. Este pode ser um sinal de que sua cavidade bucal está com gengivite. O quadro é conhecido pelo incômodo durante a limpeza e inchaço dos tecidos moles. Uma das principais causas é a falta de higiene. Por conta da dificuldade dessa atividade, pacientes com aparelho fixo comumente apresentam esse problema. Mas, como tratar o quadro durante um tratamento ortodôntico? É preciso remover o aparelho dentário? Veja as respostas do dentista Murilo Perrella para solucionar esse incômodo.

As doenças gengivais podem acontecer durante o tratamento ortodôntico

Após colocar o aparelho ortodôntico fixo, diversos fatores acabam sendo novidade na rotina do paciente, desde acostumar-se com o dispositivo dentro da boca até a maneira correta de higienizá-lo. Por conta das várias peças, como os bráquetes e fio ortodôntico, a limpeza bucal precisa ser modificada e realizada com a ajuda de itens específicos. Quando essa atividade não é feita corretamente, propicia o aparecimento de problemas bucais, como as doenças gengivais. “Com utilização de aparelhos ortodônticos, há uma maior retenção de alimentos e a dificuldade da higiene bucal aumenta por conta dos bráquetes”, explica o odontologista.

É preciso interromper o uso do aparelho ortodôntico?

Segundo o profissional, a interrupção do uso do aparelho fixo vai depender de cada caso. “Se for uma doença gengival leve (gengivite leve) onde o paciente consegue fazer o controle e alterar o quadro, não há necessidade de retirar o aparelho e interromper o tratamento”, esclarece ele. No entanto, nos casos em que o cirurgião-dentista entenda que não é possível o paciente reverter o quadro, a remoção do aparelho ortodôntico é indicada para que a gengivite não se agrave. Por outro lado, se isso não for feito, o quadro irá evoluir para uma periodontite, que pode levar a perda dentária, reabsorção óssea e amolecimento dos dentes.

Cuide da gengivite logo no início

A gengivite é uma doença bucal caracterizada pelo inchaço e sangramento dos tecidos moles. Se você tem percebido esses sintomas na sua boca, é importante marcar uma consulta ao dentista. “Caso observemos a instalação do quadro de gengivite, deve-se fazer um controle com um periodontista para remoção de tártaro e raspagens supra gengivais antes que o quadro se torne uma periodontite”, alerta Murilo. Para os quadros de periodontite já instalada, o tratamento necessário é mais agressivo, com curetagens subgengivais.

Assim como é recomendado para todos os pacientes, com ou sem aparelho fixo, a higiene bucal é a principal maneira para se prevenir dessas doenças. Além disso, para quem está passando pelo tratamento ortodôntico, a recomendação é utilizar a escova interdental, enxaguantes bucais, escova ortodôntica e passa fio, para auxiliar no uso do fio dental, de quatro a cinco vezes ao dia. Completando os cuidados, não deixe de realizar a profilaxia no consultório de seis em seis meses.

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Murilo Perrella - Especialista em Prótese Dentária, Reabilitação Oral e ATM
São Caetano do Sul - SP
CRO-SP 70.858


TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal