23.11.2017

Sem motivos para temer! Conheça as etapas do tratamento de canal e veja como ele pode salvar um dente

Seu dentista falou que você vai precisar fazer um tratamento de canal? Não precisa ter medo! Conheça como funciona esse processo
Seu dentista falou que você vai precisar fazer um tratamento de canal? Não precisa ter medo! Conheça como funciona esse processo

Você com certeza já ouviu falar do tratamento de canal. Mas será que você sabe como ele realmente funciona? A maioria das pessoas temem precisar realizá-lo, pela sua fama de doer muito. No entanto, hoje em dia a endodontia evoluiu bastante, e esse tratamento já se tornou bem diferente de como era na época dos seus avós. Conheça as etapas do tratamento de canal listadas pela dentista Sophia Cabaleiro e veja que não é preciso ter medo!

Quando devo fazer o tratamento de canal?

Você soube de alguém que realizou tratamento de canal e a pessoa praticamente contou sobre um filme de terror a respeito do procedimento. Calma! Não é bem assim. Apesar da sua fama ruim, o tratamento de canal tem, na verdade, a função de restaurar e preservar seu dente, evitando que se desenvolvam problemas mais graves. A endodontia, área especializada nesse tratamento, tem evoluído cada vez mais para tornar o momento muito mais tranquilo para o paciente e profissional, sem perder sua eficiência, garantindo resultados satisfatórios. Mas afinal, em que casos ele é recomendado?

A dentista Sophia Cabaleiro explica: "O tratamento de canal é indicado quando a polpa, que é a porção viva do dente, é acometida de alguma forma". Essa situação pode ocorrer por diversos motivos. Através de cárie, trauma, hipersensibilidade, restaurações profundas, ou também finalidades protéticas.

Conheça cada etapa desse tratamento

1 - Anestesia: O tratamento de canal normalmente envolve anestesia para que seja possível acessar a polpa, que vai até a raiz do dente, sem causar dor.

2 - Odontometria: Após o acesso, é realizada essa etapa. "Ela consiste em definir qual o tamanho real da raiz que está sendo tratada" explica Sophia.

3 - Instrumentação e limpeza: Feita a odontometria, inicia-se o processo de instrumentação e limpeza, para que seja possível remover as bactérias que ficam aderidas à parede do canal.

4 - Obturação: Por fim, a obturação do canal é feita com um cone de guta percha. "Ele irá selar o conduto para que não haja nova contaminação" esclarece.

Quais cuidados devem ser tomados antes e após o canal?

Antes de realizar o tratamento, o profissional irá avaliar a saúde bucal do paciente. Em alguns casos, é necessária a utilização de uma medicação pré-operatória, como antibióticos por exemplo. "Isso é recomendado em casos de infecções mais severas ou pacientes que possuam algum histórico de saúde que exija um cuidado maior", afirma.

Após a finalização do tratamento, outro cuidado deve ser tomado. Deverá ser realizada a reabilitação protética deste elemento, que poderá ser feita com pino e coroa ou resinas. "Essa parte é muito importante para garantir que não haja nova contaminação do canal e diminuir risco de fraturas", destaca a profissional. Portanto, não deixe de realizar essa etapa! Com esses cuidados, as chances de sucesso do tratamento e de satisfação com o resultado são bem maiores.


TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal