01.03.2021

O acúmulo de tártaro no dente pode causar sangramento na gengiva? Descubra as causas desse sintoma

O tártaro no dentes pode trazer uma série de prejuízos ao seu sorriso. Descubra se o sangramento é um deles!
O tártaro no dentes pode trazer uma série de prejuízos ao seu sorriso. Descubra se o sangramento é um deles!

Lidar com a gengiva sangrando pode até ser uma situação comum, mas é sempre um alerta para os cuidados com a sua saúde bucal. Isso porque o quadro pode estar ligado a uma série de fatores que trazem prejuízos ao seu sorriso, como o uso incorreto do fio dental e o excesso de força durante a escovação. Mas será que o sangramento também pode estar relacionado com o acúmulo de tártaro? Convidamos a dentista Uila Ramos para explicar melhor a relação entre o sangramento gengival e o tártaro no dente. Veja abaixo!

Entenda como surge o tártaro no dente

O tártaro é um termo utilizado para designar o acúmulo de bactérias nas superfícies dentárias e que resultam em diversos problemas bucais, como a gengivite e a periodontite. Mas como surge o tártaro no dente? De acordo com a dentista, a má higiene bucal é o principal causador do problema. “A deficiência na limpeza dos dentes associada ao consumo de carboidratos criam um ambiente favorável à formação do tártaro no dente, já que as bactérias presentes no meio bucal vão se acumulando nas superfícies dentais formando uma espécie de “malha” que adere nos dentes”, revela a dentista.

Além deste, existem outros motivos que também podem resultar no quadro. A xerostomia, por exemplo, promove a redução do fluxo salivar que aumenta os riscos de tártaro. Assim como os dentes apinhados ocasionam uma maior retenção de alimentos e dificuldade de higienização, que a longo prazo pode favorecer o problema.

O acúmulo de tártaro pode favorecer o sangramento na gengiva?

Sim. O motivo por trás do sangramento na gengiva é bem simples: o acúmulo de placa bacteriana. “Ela funciona como o agente causador, em virtude da má higiene, do desenvolvimento da gengivite que é inflamação da gengiva caracterizada por inchaço, vermelhidão e o sangramento gengival espontâneo ou durante a higiene bucal”, afirma a dentista.

Embora muitos pacientes acreditem ser comum lidar com a gengiva sangrando, o quadro aponta para a necessidade urgente de tratamento, já que a gengivite é uma doença inflamatória que pode trazer consequências sérias ao seu sorriso. “A permanência da inflamação gengival sem tratamento expõe ao risco de um quadro de periodontite, doença inflamatória em que há destruição dos tecidos que fazem a inserção do dente em seu ligamento periodontal, o que provoca mobilidade dental”, alerta Uila.

Como tratar o tártaro no dente?

Antes de iniciar qualquer tipo de tratamento, é importante que o paciente passe por uma avaliação detalhada, incluindo um exame clínico minucioso e, quando necessário, radiografias para avaliar o grau de inserção periodontal para remover os fatores retentivos de placa bacteriana. “O tipo de tratamento depende da localização do biofilme dental. Em pacientes acometidos por gengivite, o tártaro rodeia os dentes em sua porção cervical, o que faz com que a raspagem supragengival seja o procedimento mais indicado”, conta a dentista.

Já quando se trata de pacientes com periodontite, é necessário uma avaliação clínica mais profunda devido à presença de bolsa periodontal. De maneira geral, recomenda-se a raspagem subgengival para remoção do tártaro. No entanto, vale ressaltar que, em alguns casos, a formação de tártaro nas superfícies radiculares requer um tratamento cirúrgico para remover todo o biofilme.

5 hábitos para evitar o tártaro no dente

1) Realizar uma boa higiene bucal todos os dias após as refeições e antes de dormir.

2) Não deixar de usar o fio dental. Só ele é capaz de remover os restos alimentares entre os dentes e evitar a formação e o endurecimento da placa bacteriana na região.

3)
Lembre-se do enxaguante bucal que tem o papel de finalizar a higiene e proteger sua boca dos microrganismos.

4)
Tenha uma boa dieta. Uma alimentação com alto consumo de açúcar e carboidratos favorece o desenvolvimento de tártaro no dente.

5)
Vá ao dentista regularmente. A cada seis meses visite um profissional qualificado para realizar uma profilaxia - que é um procedimento fundamental para prevenir o tártaro no dente.

Esse artigo teve a participação profissional de:
Uila Ramos da Silva - Cirurgiã-Dentista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, Ortodontista formada pela Faculdade de Odontologia do Recife
CRO-PE: 10.380


TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal