08.11.2021

Mau hálito causado por estresse tem tratamento?

O mau hálito é um incômodo que pode ser causado por estresse e ansiedade. Entenda a relação entre os quadros e como tratar a halitose!
O mau hálito é um incômodo que pode ser causado por estresse e ansiedade. Entenda a relação entre os quadros e como tratar a halitose!

Existem muitos fatores que podem provocar o mau hálito e descobri-los nem sempre é uma tarefa tão fácil. O estresse excessivo, por exemplo, é uma condição que pode estar relacionada com a halitose. Por não se tratar de uma doença e, sim, um transtorno, é comum que muitos pacientes não saibam como acabar com mau hálito causado pelo quadro. 

Para entender o que deve ser feito nessa situação, nós conversamos com a Karyne Magalhães, que é presidente da Associação Brasileira de Halitose. Veja, a seguir, dicas da especialista sobre como tirar o mau hálito causado pelo estresse. 

Mau hálito vs. estresse: entenda a relação entre os quadros

Não precisa ser expert no assunto para saber que são inúmeras as causas de mau hálito. Mas, o que poucos sabem é que, o quadro pode estar relacionado com estresse, ansiedade e outros transtornos. “Nessas situações, a quantidade de saliva produzida pode ficar reduzida e, por consequência, a proteção antimicrobiana salivar pode ficar comprometida”, explica a dentista. 

No caso de pacientes com estresse contínuo, a baixa salivação é o que causa mau hálito e outros incômodos, como sensação de boca seca, gosto ruim e até mesmo distorção de paladar.  Vale ressaltar também que, quanto maior a oferta de proteína, como células bucais descamadas, processos inflamatórios, infecções e degradação dos tecidos dentais e periodontais, maior as chances de desenvolver halitose.

Como acabar com o mau hálito causado pelo estresse?

Não existe receita milagrosa ou remédio caseiro para mau hálito, é preciso consultar um dentista qualificado o quanto antes. Através do diagnóstico correto e das orientações profissionais, é possível reduzir o microbiana através da adequação da saúde bucal. “Mudanças de hábitos simples na higiene oral, dieta, prática de atividade física e, em casos de estresse e ansiedade, acompanhamento psicológico e/ou psiquiátrico podem ajudar no tratamento de mau hálito”, revela Karyne. 

Além disso, é importante lembrar que as medidas podem ocorrer através de um controle básico de uma única sessão. No entanto, em alguns casos, o acompanhamento por alguns meses é melhor para mau hálito. Lembre-se: controlar bactérias ou qualquer outro microrganismo não é fácil, mas é possível. 

Mau hálito: causas vão além do estresse e da ansiedade

De acordo com a especialista, as causas de mau hálito podem estar relacionadas a diferentes fatores. Por isso, o check-up odontológico é fundamental quando se há suspeitas sobre a presença do quadro. “Câncer e nefropatia são algumas doenças que causam mau hálito”, alerta a dentista.

Além destes, gengivite, cárie e periodontite também são condições que podem favorecer a halitose. Nesses casos, passar por uma consulta com um cirurgião-dentista qualificado na área de halitose é fundamental para diagnosticar a origem e o grau de intensidade do mau hálito que a pessoa apresenta. 


Este artigo tem a contribuição do especialista:
Karyne Magalhães - Cirurgiã-dentista e presidente da Associação Brasileira de Halitose. Qualificada no diagnóstico e tratamento de halitose e disfunções salivares. Habilitada em laserterapia e especialista em prótese dentária.

CRO-GO: 7954


Publicador de Conteúdos e Mídias

TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal