26.01.2016

Longe do sedentarismo! Especialista dá 4 dicas para quem precisa se exercitar

O sedentarismo pode ser o início de uma série de outras doenças bem perigosas como obesidade, diabetes e doenças ósseas. Não prejudique sua saúde e movimente-se sempre
O sedentarismo pode ser o início de uma série de outras doenças bem perigosas como obesidade, diabetes e doenças ósseas. Não prejudique sua saúde e movimente-se sempre

Sabe aquela sensação de cansaço, fadiga e indisposição só de pensar em fazer qualquer tipo de atividade física? Essa falta de vontade pode significar sedentarismo. Uma doença que atinge muitas pessoas por conta das modernidades tecnológicas que facilitam a rotina. Se você quer se livrar deste mal, levanta do sofá, sacode a poeira e confira algumas dicas que vão mandar toda essa moleza para bem longe.

Obesidade, diabetes e problemas cardíacos são causados pelo sedentarismo

Segundo o professor de Educação Física Jésus Domiciano, o sedentarismo contribui para o desenvolvimento de uma série de problemas que afetam seu corpo e organismo como um todo. "Doença cardíaca, obesidade, diabetes, doenças ósseas (Osteoporose e/ou Artrite), Hipertensão arterial, aumento do colesterol e até mesmo algum tipo de câncer". Esse desânimo também provoca atrofia das fibras musculares, perda da flexibilidade articular e o comprometimento funcional de vários órgãos.

Como identificar um ser sedentário?

Analise você mesmo. Quando seus amigos te chamam para sair e fazer algo novo você desanima só de pensar no esforço e faz de tudo pra ficar em casa? Então você pode ser um forte candidato preguiçoso. "O indivíduo sedentário se caracteriza por ser uma pessoa que está sempre substituindo as atividades que demandam gasto energético por atividades automatizadas, adotando cada vez mais a filosofia do menor esforço, reduzindo, assim, o consumo energético do seu corpo".

4 dicas para uma nova vida

1. Consulte um médico antes de tudo; essa dica vale pra qualquer pessoa, mas principalmente para aquelas que estão, primeira vez, começando na prática de exercícios. Antes de sair praticando, visite um profissional. É muito importante que se faça uma avaliação clínica geral para checar o seu condicionamento físico antes e durante o programa de treino. "Em seguida, indico procurar um profissional de Educação Física para orientar nas atividades escolhidas". Assim, você estará pronto para seguir uma nova rotina.

2. Caminhando para longe da preguiça; Praticar exercícios constantemente é um bom início de mudança de vida. Uma caminhada pode ajudar. "De três a cinco vezes por semana com duração de 30min ajudará a fortalecer os músculos dos membros inferiores, perda de peso, capacidade respiratória, coordenação e postura, além de melhorar a saúde do coração". Mas é importante identificar aquilo que realmente dá prazer. Correr, pedalar, jogar bola são algumas opções! Tudo é válido para sair do lugar. 

3. Pequenas mudanças no dia a dia; além de atividades esportivas, existem algumas mudanças simples no dia a dia que podem contribuir muito para que você movimente-se mais. "Podemos mudar nossos hábitos diários como trocar o elevador pelas escadas, trocar o carro pela bicicleta ou caminhada (se possível), trocar os passeios nos shoppings por passeios nos parques".

4. Mude a sua alimentação; uma dieta balanceada com os alimentos certos contribuirão para um bom desempenho da atividade física escolhida. "O ideal é procurar um profissional da área de nutrição para saber qual será a dieta mais adequada para não faltar energia na hora das atividades", finalizou.


Tags:

TODAS AS MATÉRIAS: bem estar