18.05.2017

Infecções no canal dentário podem atingir outras partes do corpo?

Um dente infeccionado pode resultar em muitas complicações bucais. E quando o problema não é devidamente tratado, a preocupação se torna ainda maior
Um dente infeccionado pode resultar em muitas complicações bucais. E quando o problema não é devidamente tratado, a preocupação se torna ainda maior

Tudo pode começar com uma lesão simples de cárie que, no início, o tratamento é bem fácil de ser feito. Mas se o problema for negligenciado, a bactéria acaba causando um grande estrago no esmalte dentário, ultrapassando a dentina e chegando no canal do dente. A partir daí, uma série de doenças podem tomar conta da sua boca. Mas será que é possível que o problema se estenda para outras partes do seu corpo? Apesar do tema ainda ser bastante contestável, o dentista Daniel Cohen avisa que é importante ter cautela para o dente não chegar ao estado de infecção.

O que leva a uma infecção no canal do dente?

O canal envolve quase todas as partes do dente. Quando o dentista faz um procedimento endodôntico, o famoso tratamento de canal, ele remove a polpa, tecido interno que se estende da coroa até a raiz. Em seguida limpa e preenche toda essa região que foi retirada. Esse cenário é causado por doenças aparentemente inofensivas que, quando não recebem o devido tratamento, podem gerar um grande risco à saúde e vitalidade do dente. “Isso pode acontecer com a cárie avançada, que destrói todo esmalte, dentina e chega ao canal, ou a periodontite que alcança a raiz do dente e, consequentemente, o canal”, relata o patologista.

Como a infecção pode prejudicar além dos dentes?

A relação de doenças sistêmicas com a infecção no canal dentário ainda é bastante controversa. Daniel explica que vários estudos associam problemas de saúde geral, o diabetes, por exemplo, como agentes da doença endodôntica e de sua piora durante o tratamento. Em contrapartida, outras pesquisas também relatam a ausência dessas alterações.

O que já está comprovado há muito tempo é o risco de uma infecção que atinge o osso alveolar (aquele que envolve as raízes dos dentes). Ela pode, inclusive, levar a doença cardíaca, como foi reforçado recentemente pelo pesquisador John Liljestrand, da Universidade de Helsinki na Finlândia. “Ele relatou que a doença coronariana aguda é 2.7 vezes mais comum em pacientes com dentes não tratados necessitando de cuidados endodônticos do que naqueles sem o problema”, cita Daniel.

O tratamento de canal é o mais indicado

O melhor jeito de eliminar essa infecção é com o tratamento de canal. “Só ele consegue conter todo foco infeccioso e impedir que o problema possa atingir a saúde geral do paciente”, garante. Portanto, se você costuma realizar visitas regulares ao dentista, fica mais fácil para o profissional identificar essa alteração e encaminhar seu caso para um especialista em endodontia. Assim, as chances de ter um problema mais grave que possa afetar a sua saúde diminuem bastante.


TODAS AS MATÉRIAS: saúde bucal